|

Notícias

Notícias em destaque
15
maio

Devido a falta de segurança na cidade, FAINTVISA cancela as aulas desta quinta-feira

Vitória de Santo Antão, e outras cidades pernambucanas vivem momentos de verdadeira tensão. Com a greve da Polícia Militar Pernambucana, vândalos aproveitaram para saquear vários estabelecimentos comerciais na noite de ontem (14) em Abreu e Lima – Recife. Hoje pela manhã o caus se instalou nas demais cidades do estado. 

Em Vitória, o comércio fechou as portas antes das 11h00 da manhã. Os boatos de arrsatões se alastraram e levaram muitas escolas e faculdades paralizarem suas atividades no perído da tarde e noite. 

A FAINTVISA decidiu também cancelar as aulas neste 15 de maio em respeito à segurança de seus alunos e funcionários.

Entenda a paralisação
 
Uma comissão independente de PMs iniciou a paralisação na noite de terça (13) e decidiu manter a mobilização na noite de quarta (14), após reunião com líderes do governo e representantes da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe). Nem o governo do estado nem o movimento grevista precisaram quantos PMs aderiram à paralisação. Os PMs afirmam que a paralisação foi mantida porque não foi fechado acordo quanto ao aumento de 50% no salário-base, uma das reivindicações da categoria. O grupo envolvido na mobilização também pleiteia, entre outros pontos, aumento do vale-refeição e estruturação do Plano de Cargos e Carreiras (PCC) da corporação.
 
O secretário da Casa Civil, Luciano Vasquez, informou que os PMs terão reajuste de 14,55% no contracheque de junho, equivalente à quarta parcela acordada em acerto entre governo e categoria, há quatro anos. O primeiro aumento foi em 2011, de 14%; a segunda e a terceira parcelas foram de 10%, em 2012 e 2013. Os reajustes foram concedidos sempre no mês de junho de cada ano.
 
O governador de Pernambuco, João Lyra Neto (PSB), solicitou na quarta-feira (14) a ajuda dos homens da Força Nacional de Segurança Pública e do Exército para substituir os PMs grevistas. A primeira tropa da Força Nacional de Segurança Pública ao Estado chegou por volta das 5h30 desta quinta-feira, 15.
 
O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, é aguardado pela manhã e virá acompanhado do general do Exército que comandará a operação. Os grevistas prometem uma passeata pelo centro do Recife e realizam assembleia ao final da caminhada na frente do Palácio do Campo das Princesas. O líder do movimento, soldado Joel do Carmo, disse ter ficado surpreso com a decretação da ilegalidade e do caráter de abuso da greve porque 30% da categoria trabalhando, segundo ele, mantendo os serviços essenciaisde segurança. Ele afirmou que "oficiais de alto escalão" devem aderir ao movimento.