|

Notícias

Notícias em destaque
31
mar

Coordenador de História/Faintvisa comenta matéria publicada no jornal ‘O Estadão’

No próximo dia 02 de abril, a Faintvisa dará espaço ao Seminário '50 anos do Golpe Militar de 1964', que será realizado no anfiteatro da instituição.
 
E, lembrando desta data história, o jornal O Estadão publicou uma matéria intitulada 'A resistência de uma pequena cidade de Pernambuco', que traz relatos de homens e mulheres que resistiram às barbaries por parte do Exército brasieliro, na cidade da Vitória de Santo Antão.
 
A matéria publicada começa mostrando os principais personagens dessa parte tão importante da história vitoriense:
 
"A professora foi para a rua liderar o levante contra o golpe. Os trabalhadores da estrada de ferro cruzaram os braços. O telegrafista disse para os primeiros soldados com carabinas nas mãos que não tinha condições de mandar mensagens. O delegado não aceitou as ordens do Exército. Diante da agitação, o comércio fechou as portas. A rádio AM foi tomada por defensores do presidente João Goulart e, pelo microfone, conclamou os ouvintes a resistir. O sindicalista resistiu e foi fuzilado num canavial. O corpo dele virou repasto de aves de rapina. Os militares forjaram um suicídio que indignou a família." (…)
(O Estadão, 28 de março de 2014)
 
Segundo o Coordenador de História/Faintvisa, Prof. Ricardo Andrade, a matéria ressalta a importância da cidade da Vitória e resistência ao golpe militar, município que ao longo de sua história tem participado de todos os movimentos libertários e democráticos de Pernambuco e do Brasil.
 
A programação para o Seminário '50 Anos de Golpe Militar de 1964' promovido pelo Coordenação do curso de Licenciatura em História, da Faintvisa  já está disponível para o alunado. Os expositores serão os professores Manoel Moraes (Professor da Uninassau, Cientista Político/UFPE, e membro da Comissão da Verdade-PE) e, Hely Ferreira (Professor da Faintvisa, Cientista Político/UFPE e membro do Núcleo de Pesquisa sobre partidos e eleições/UFPE). As inscrições são pagas (R$10,00) e devem ser efetuadas na Coordenação de História, da instituição. 
 
Vej aqui a matéria, na íntegra, do Jornal 'O Estadão': http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,a-resistencia-de-uma-pequena-cidade-de-pernambuco,1146363,0.htm