|

Notícias

Notícias em destaque
13
jan

Alunos do curso de Psicologia FAINTVISA publicam artigo no site Psicologado

Alunos do curso de Psicologia da FAINTVISA publicaram o artigo intitulado “A Criança no Ambiente Hospitalar: o Fantasma e a Elaboração pelo Brincar”, no site psicologado.com.
Os alunos Alexandre Barbosa Silva, Dinamérico Vicente de Paula, Rosedite Tenório de Oliveira, Sergio Luiz Mendonça de Arruda e Stanley Sidney Pinheiro Rodrigues, todos do 9º período, analisaram a perspectiva das várias reações que as crianças apresentam ao serem internadas.
Segundo o resumo do Artigo ”A criança ao ser internada no ambiente hospitalar – por quaisquer que sejam os motivos – irá responder a essa vivência de uma forma bastante particular. Medos, inquietações e conflitos podem ser ativados; e, a depender de como as pulsões inconscientes se deslocam e se representam pelas projeções fantasmáticas, isso poderá revelar a ansiedade da perda dos vínculos afetivos e objetais que foram estruturados de modo a corresponder desejos maternais não satisfeitos. A Ludoterapia, por enfatizar o brincar e propiciar uma produção de sentidos (linguagem) facilitadora para a criança fará com que ela possa expressar as angústias e os sentimentos. Noutras palavras, auxiliará a criança na elaboração e ao psicoterapeuta na identificação das demandas inconscientes.”
Segundo a ótica dos autores, uma internação pode desencadear diversas perguntas na cabeça de uma criança, como: “Onde Estou?”, “Onde está minha mãe?” e “Por que dói?”, e, para que uma internação não se torne um pesadelo na vida desses pequenos, os autores apresentaram a Ludoterapia, permitindo assim que a criança hospitalizada entre em seu mundo subjetivo, ressignificando o seu sofrimento. É onde entra a ação do psicólogo hospitalar, que irá propor a utilização da atividade lúdica como  uma forma de compreender o que se passa no campo subjetivo da criança, de modo a ajudá-la a reduzir suas ansiedades advindas de sua relação com a hospitalização, facilitando assim, o processo terapêutico como um todo.
Os autores puderam, diante de achados teóricos, perceber a importância do brincar e da Ludoterapia para a criança hospitalizada.
A publicação completa está disponível neste link 
Priscylla Ingrend | DCM